Bem vindo ao nosso Blog

Confira matérias sobre o mundo de empreendedorismo

Como criar uma experiência humana através de marketplaces

Atualmente estamos vivendo numa era em que inovação, disrupção e novas tecnologias são de ampla importância para gerir negócios, aumentar a produtividade e eficiência das empresas.  Um dos exemplos de como a tecnologia ajuda nesses quesitos é no caso do e-commerce, que trouxe processos que antes eram totalmente manuais e feitos de forma presencial para o meio digital.  Embora a compra online no e-commerce traga segurança, agilidade, comodidade e muitas vezes redução de custo, é sabido que o processo online acaba distanciando as marcas dos clientes, trazendo um atendimento muitas vezes impessoal.  Os gestores de marketplaces precisam sempre se atentar ao fato que durante a compra online os consumidores não tem um vendedor para tirar dúvidas. Então a simpatia, carisma e bom atendimento do vendedor que muitas vezes fideliza o cliente não existe nesse caso.  

 

Um dos temas tratados durante a NRF 2019 (uma das maiores feiras de varejo da América) é como criar experiências humanas de um jeito inteligente e autêntico para os consumidores, o que reitera a importância do assunto para quem tem seu próprio marketplace.  Para ajudar os gestores de marketplaces a criarem marcas que tocam emocionalmente o cliente, eu escrevi este artigo com dicas para criar uma experiência humana através dos marketplaces, ou shoppings virtuais. Entre cases que conheço que ajudam a trazer essa pessoalidade da marca para os consumidores citarei a seguir as cinco ações que acho mais relevante.

 

 

  • Carta de agradecimento

Enviar uma carta de agradecimento para o seu cliente, preferencialmente escrita a mão, é uma excelente forma de mostrar o quanto você se importa.  O ideal é que essa carta seja enviada junto ao produto, mas como o gestor do marketplace não cuida da logística de entrega ele pode realizar esse envio alguns dias após a compra.  Essa carta também pode ser aproveitada para enviar um cupom de desconto para uma próxima compra, e melhor ainda se já conseguir que o cliente visite um link para uma pesquisa de satisfação para receber esse cupom.

 

 

  • Embalagem personalizada

Imagine realizar uma compra no e-commerce e receber na verdade um presente no seu endereço?  A ideia é exatamente que o consumidor receba o que comprou em uma embalagem com decoração diferenciada, papéis em volta e com cheirinho gostoso dentro da caixa.  Mesmo que o cliente tenha comprado algo para ele, ele acaba se sentindo presenteado. Como gestor do marketplace, você também não consegue fazer o envio diretamente, contudo pode treinar os seus vendedores a criar esse procedimento, e pode até enviar as embalagens com a sua marca para eles.

 

 

  • Bolo de aniversário

Uma estratégia de growth hacking de uma empresa foi realizar o envio de um pequeno bolo no aniversário para seus consumidores. Esse ato vai mostrar ao seu cliente o quanto você se importa com eles.  A empresa relatou que houve aumento de satisfação e de vendas com essa campanha.

 

 

  • Cartão presenteável

A empresa Hallmark Greetings criou uma campanha de programa de fidelidade chamada Free Card Fridays, onde atraia os clientes para as lojas e dava cartões para serem presenteados a outras pessoas.  Falando sobre omni-channel é uma excelente forma de atrair o público do seu marketplace para os espaços físicos. Além disso, você também pode realizar o envio dos cartões dentro da caixa do produto como um símbolo da importância de amizade para a empresa.

 

  • Apoio a comunidade

A empresa Levi’s atua oferecendo amplo apoio a comunidade local, não apenas através de doações mas também apoio moral em manifestações e outras ações organizadas pela comunidade.  Esse tipo de ação trouxe muita mídia espontânea para a empresa, além de conseguir conquistar simpatia dos moradores.
Outra ação interessante nesse sentido é do restaurante Ihop na Flórida. Estados Unidos.  Esse restaurante fez uma campanha para realizar doações para o hospital infantil local. O valor total doado pelos consumidores era revertido em um cupom de desconto para uso no próprio restaurante em caso de retorno em até 30 dias.  Ou seja, todo o valor doado era coberto pela empresa.
Pense agora em como seu marketplace pode ajudar a comunidade local e ainda conseguir humanizar a marca para seus consumidores.  Esse é o tipo de campanha que considero oferecer melhor benefício para todos os lados.
 

E para as empresas interessadas em crescer o negócio através de marketplaces, fale com um dos nossos consultores ou acesse o nosso trial gratuito por 10 dias.  

 

Sobre a autora

Erica Castilho, CEO da N2N Virtual

CEO da N2N virtual com mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento de software para e-commerce em grandes empresas.  Palestrante sobre marketing digital, e-commerce e empreendedorismo. Mestre em Informática com ênfase em gerência de projetos pela UFRJ, bacharel em Sistemas de Informação, especialista em Marketing Digital.  Nomeada ao prêmio de melhor empreendedora digital de 2018 pela ABCOM.

 

O novo modelo de SAC para marketplaces

O Brasil está mudando a forma como trata o cliente com customer experience (sucesso do cliente) e engajamento.  Essa é a análise do Matheus Borges, executivo de contas da Zendesk, startup dinamarquesa com sede em São Francisco, USA, que possui mais de 11 anos de história e criou uma unidade no Brasil há 4 anos.  Ele informou que a empresa resolveu investir muito no Brasil pois a América Latina é a região que mais cresce em número de negócios no mundo.

 

E para seguir esse novo modelo de comunicação com o cliente, os gestores de marketplaces também precisam adaptar e melhorar os seus processos internos.  Por isso, eu escrevi esse artigo com algumas dicas de como o marketing, vendas, pós vendas e o time de suporte devem interagir com os clientes do seu marketplace.

 

O primeiro ponto a ser levado em consideração é que o mercado brasileiro mudou para um novo formato de SAC (serviço de atendimento ao cliente) com uso do customer experience (experiência do cliente) e customer success (sucesso do cliente) e a grande oportunidade é que toda equipe do marketplace passe a focar no cliente juntamente com toda a área de negócio.    Para implementar com qualidade no seu marketplace o customer success, vale a pena ler o nosso artigo 6 passos para encantar o cliente no seu marketplace através do Customer Success.

 

Lembre-se que desde o primeiro email já começa a jornada de experiência do cliente com a empresa.  O novo SAC não é reativo, mas tudo foca e centraliza no desejo do sucesso do cliente. Para auxiliar nesse processo, as ferramentas de CRM (customer relationship management) ajudam o segmento de marketing dos negócios de marketplace com diversos canais como chat, telefone e email.   

 

Um dos pontos de ampla importância no CRM é que precisa entregar uma central de atendimento e custo de serviço com inteligência artificial para que o cliente do marketplace receba atendimento o mais rápido possível.  Outros recursos que auxiliam a manter um atendimento de qualidade para o cliente do marketplace são o uso das ferramentas em cloud (nuvem), integrações com diversos sistemas, facilidade para consolidar informações e auxiliar na produtividade e experiência de atendimento do marketplace.  

É importante também que os funcionários dos negócios de marketplace sejam capacitados e treinados nos novos procedimentos de customer experience e customer success, pois as ferramentas precisam ser configuradas e manejadas corretamente para oferecer o sucesso nos processos.   Aproveite e visite a N2NSchool para conferir os cursos disponíveis para sua equipe sobre gestão de marketplaces.

 

E para as empresas interessadas em crescer o negócio através do e-commerce, fale com um dos nossos consultores ou acesse o nosso trial gratuito por 10 dias.  E nossos clientes também podem aproveitar nosso programa de benefícios para contratar o CRM da Zendesk com um desconto muito proveitoso.

 

Sobre a autora

Erica Castilho, CEO da N2N Virtual

CEO da N2N virtual com mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento de software para e-commerce em grandes empresas.  Palestrante sobre marketing digital, e-commerce e empreendedorismo. Mestre em Informática com ênfase em gerência de projetos pela UFRJ, bacharel em Sistemas de Informação, especialista em Marketing Digital.  Nomeada ao prêmio de melhor empreendedora digital de 2018 pela ABCOM.

4 dicas de vendas para melhorar o processo de conquista de parceiros do seu marketplace

Todo marketplace passa sempre pelo mesmo processo: quem devo buscar primeiro, parceiros ou clientes?  Nós já respondemos essa pergunta no N2NTalks na entrevista sobre estratégia de atração do seu marketplace (assista o vídeo aqui), e nesse artigo vamos ensinar um pouco sobre o processo de controle de relacionamento com os sellers (vendedores) do seu marketplace durante a fase inicial, de “venda” da parceria, que se assemelha muito ao processo de CRM (Customer relationship management) tradicional, onde se faz a gestão do relacionamento com o cliente (nesse caso o seu cliente é o vendedor que você deseja trazer como parceiro para o seu marketplace).

Esse artigo foi escrito para profissionais que já tiveram experiência prévia com o fluxo de venda de serviços.  Caso você fique com dúvidas, sugerimos estudar um pouco mais sobre marketplace no nosso blog, ou buscar informações específicas sobre CRM.

 

 

1 – Organize o funil de vendas

 

Um ponto importante é que seu funil de vendas precisa tangibilizar a estratégia de atração de parceiros do seu marketplace.  Para que isso ocorra é ideal se trabalhar com funis separados de self service (onde o cliente se torna parceiro do seu marketplace sozinho), inside sales (vendedor interno) e field sales (vendedor externo ou de campo).  Na N2N Virtual nós já criamos no seu marketplace uma área onde o gestor informa as regras para se tornar parceiro vendedor, o próprio seller se cadastra e cuida da operação de cadastro de produtos, estoque e acompanhamento de pedidos.  Nesse caso, o processo de self service já está coberto.

Cada etapa do seu funil de vendas pode ter várias atividades e para que a etapa seja completa deve ter um entregável.  É recomendável criar um checklist das atividades a serem feitas em cada etapa.

 

 

2 – Analise a necessidade do Pré vendas

 

Vale a pena analisar a necessidade de se manter um SDR (sales development representative).  O papel do SDR é realizar o pré venda, selecionando os leads que são mais interessantes e qualificados para repassar ao vendedor da sua empresa.  Tome cuidado contudo em manter uma estratégia diferente para os parceiros em potencial do seu marketplace que são maiores ou mais relevantes para o negócio. Os sellers maiores precisam receber contato mais rápido. Nesse caso, o lead não deve passar pelo SDR, mas ser encaminhado direto para vendas.

 

 

3 – Desista dos leads que gastam energia

 

Toda negociação precisa ter um deadline (prazo final de negociação).  Mantenha um procedimento padrão para os leads que estão na dúvida, não apresentam resposta ou estão demorando muito no contato sobre se tornar parceiro do seu marketplace.  Esses devem ser marcados como “perdidos” e encaminhados de volta para o marketing.

 

4 – Análise do pós vendas
Não adianta ter processo e métrica se as informações não são acompanhadas.  No procedimento de pós vendas dos parceiros do seu marketplace é necessário analisar o motivo de perda do lead, criar metas intermediárias sobre o número de visitas / reuniões, etc.  

Lembre-se também que a taxa de conversão é a principal métrica do setor de vendas.  Olhar a taxa de conversão em cada Estado ajuda a definir quem tem maior potencial de retorno e investir nas regiões que vendem mais.

Após o período de análise é importante uma reunião entre marketing e vendas para estabelecer as ações de melhorias.

E para as empresas interessadas em crescer o negócio através do e-commerce, fale com um dos nossos consultores ou acesse o nosso trial gratuito por 10 dias.

Para quem está interessado em aumentar as vendas, sugerimos o livro “Como realizar um pitch matador” que pode ser adquirido aqui.

 

E para quem gosta de atuar com vendas e deseja se tornar um empreendedor digital com ganhos de acordo com a meritocracia e um produto inovador, conheça nosso programa de parceria aqui.

 

Sobre a autora

Erica Castilho, CEO da N2N Virtual

CEO da N2N virtual com mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento de software para e-commerce em grandes empresas.  Palestrante sobre marketing digital, e-commerce e empreendedorismo. Mestre em Informática com ênfase em gerência de projetos pela UFRJ, bacharel em Sistemas de Informação, especialista em Marketing Digital.  Nomeada ao prêmio de melhor empreendedora digital de 2018 pela ABCOM.

 

KPIs que devem ser acompanhados de perto por marketplaces e e-commerces no geral

KPI é a sigla em inglês para Key Performance Indicator, ou os famosos Indicadores-Chave de Desempenho. Cada ramo de negócio tem seus KPIs mais importantes, e nesse artigo irei apresentar os indicadores que devem ser acompanhados pelos negócios de e-commerce, tais como lojas virtuais ou marketplaces (os shopping virtuais).

 

  • KPIs referente ao produto (vendedor)

 

Entre as métricas chaves para serem acompanhadas nesse segmento estão: percentual de produtos publicados, percentual de produtos com estoque, percentual de produtos com visitação e % de produtos com venda.  Essas informações vão auxiliar o gerente de e-commerce a criar a estratégia de quais produtos merecem maior investimento e esforço para vendas.

Outros indicadores que também são importantes são:  ciclo de vida do produto, giro de estoque, venda média diária e cobertura de estoque (saber quando o produto vai acabar).  Essas informações auxiliam no planejamento do estoque e compra de novos produtos, além do cálculo de perda que se gera pela demora de venda no produto.

Lembrando que existem vários marketplaces que não realizam venda de estoque próprio, apenas fazem a intermediação entre diversos sellers (vendedores).  Para esse modelo, quem deve controlar essas KPIs é diretamente o vendedor e não o marketplace.

 

  • KPIs referente ao setor comercial

 

Quem atua diretamente na área de vendas precisa acompanhar o GMV (Gross Merchandise Volume) , evolução de pedidos, variação sazonal, taxa de conversão, ticket médio e venda por canal.

Essas informações auxiliam no planejamento de vendas e marketing, e precisam ser acompanhadas diretamente pelo gestor do marketplace ou do e-commerce.

 

  • KPIs referente ao SAC (setor de atendimento ao cliente)

 

Entre os KPIs que precisam ser acompanhados pelo SAC estão: taxa de contato, taxa de reclamação, avaliação do atendimento, número de chamados em aberto e tempo de resposta.  Boas ferramentas de CRM (Customer Relationship Management) voltadas para SAC já oferecem esses dados, que ajudam na gestão do customer success (sucesso do cliente).

No programa de benefícios da N2N Virtual temos como ferramenta parceira a Zendesk, com desconto exclusivo para nossos clientes. Confira aqui.

 

  • KPIs referente ao setor financeiro

 

Ciclo de caixa, margem do produto, mix de margem, custo de antecipação e parcelamento médio/categoria são KPIs que precisam ser acompanhadas pelo setor financeiros dos vendedores (sellers).  Essas informações auxiliam a ter um fluxo de caixa saudável, possibilitando negociações com fornecedores quando necessário.

E para as empresas interessadas em crescer o negócio através do e-commerce, fale com um dos nossos consultores ou acesse o nosso trial gratuito por 10 dias.

Para quem está interessado em aumentar as vendas, sugerimos o livro “Como realizar um pitch matador” que pode ser adquirido aqui.

E para quem deseja se tornar um empreendedor digital com ganhos de acordo com a meritocracia e um produto inovador, conheça nosso programa de parceria aqui.

 

Sobre a autora

Erica Castilho, CEO da N2N Virtual

CEO da N2N virtual com mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento de software para e-commerce em grandes empresas.  Palestrante sobre marketing digital, e-commerce e empreendedorismo. Mestre em Informática com ênfase em gerência de projetos pela UFRJ, bacharel em Sistemas de Informação, especialista em Marketing Digital.  Nomeada ao prêmio de melhor empreendedora digital de 2018 pela ABCOM.

 

N2N Virtual lança unidade nos Estados Unidos

O mercado americano é de longe um dos mais promissores quando se trata de e-commerce.  Haja vista, que as empresas com maior faturamento no segmento são marketplaces. Pensando sempre em oferecer inovação tecnológica de alta qualidade, a N2N Virtual executou sua internacionalização no país com as maiores startups de tecnologia:  os Estados Unidos. A empresa oferece uma plataforma que permite a qualquer pessoa criar e gerenciar o seu próprio marketplace, tendo como diferencial oferecer tecnologia de ponta com um valor acessível para pequenos e médios negócios.

A CEO da empresa, Erica Castilho, conta que o plano de internacionalizar veio desde o surgimento da empresa, e que a pesquisa iniciou em 2014 com a ajuda do Sebrae, e continuou com apoio do UKTI e Apex.  Entre os países que foram visitados para completar o processo de expansão estão Estados Unidos, Inglaterra e França. “O brasileiro precisa iniciar seu negócio já de forma global”, enfatiza.

A nova unidade foi aberta em Orlando, Florida,  pensando na facilidade de locomoção para o Brasil e na facilidade de intercâmbio cultural.  Junior Grão, CTO da empresa, explica que foram necessárias poucas alterações na tecnologia, pois a plataforma foi estruturada desde o início para funcionar em qualquer língua e qualquer moeda.

O lançamento da empresa americana foi realizado no final de 2018, e a mesma já atuou num projeto de divulgação na Times Square (NY) de uma grande doceria brasileira com atuação mundial; suporte tecnológico na gestão de e-commerce de uma marca brasileira de sapatos que expandiu para os Estados Unidos, e criação de um e-commerce de auto peças a nível mundial.

Com clientes no Brasil,  Estados Unidos, Moçambique e em lançamento em Portugal, a empresa já possui atuação em 4 países e pretende alcançar ainda mais, ajudando outras empresas a internacionalizar através do e-commerce.

 

Sobre a N2N Virtual

A N2N Virtual lançou sua solução voltada para B2B2C, ou B2B2B em 2016, e validou o MVP (mínimo produto viável) com 700 empresas.  Agora já conta com dezenas de marketplaces lançados e está em tração do seu negócio. A marca já participou de programas como Iniciativa Jovem da Shell, incubação na IETEC da CEFET/RJ, Inovativa Brasil e StartOut Brasil e premiações para participação de missões empresariais para o Vale do Silício, Londres Tech City e Paris. Com posicionamento global, a plataforma já foi lançada para funcionar em qualquer língua e qualquer moeda.

Acompanhamento de métricas para crescimento do negócio

O crescimento do negócio é muito importante porque as empresas mais valorizadas são as que crescem mais rápido (mesmo passando por longos períodos sem lucro).  Com base em um relatório de informações com dados muito relevantes sobre diversos tamanhos de empresas americanas lançado pela Key Banc Capital Markets e informações coletadas durante o SuperLógica Experience, preparei um artigo com pontos chaves e métricas que devem ser acompanhados para cada tamanho de negócio.  Leve em consideração que a variação cambial não foi realizada de forma correta, já que o artigo é uma base para fins de informações e pesquisa.

A primeira dica que deixo é que embora as startups de modelo recorrente estejam sempre preocupadas em acompanhar o Churn, só faz sentido olhar para essa métrica quando você já alcançou a entrada de 5 a 10 novos clientes / mês.

A seguir, definirei os pontos importantes de acordo com cada faturamento de negócio:

 

  • Empresas com faturamento abaixo de 1 milhão

 

Nessa fase da empresa é importante definir o problema, validar a solução e o mercado.  

Entre as métricas que devem ser acompanhadas estão: CAC (custo de aquisição do cliente), MRR (Receita recorrente mensal), Churn (taxa de cancelamento), LTV (valor do ciclo de vida do cliente), TR (Taxa de retenção) e índice de engajamento.

Uma dica interessante de André Baldini, CEO da Superlógica é que quando a empresa tem pouco recurso ela precisa otimizar o recurso que gasta para oferecer o produto correto para o público correto.  Além disso, precisa identificar onde vai investir no marketing, identificar e focar na persona correta, e escolher a melhor região para direcionar investimento. Ele também explica que investir já gerenciando o CAC (Custo de aquisição do cliente), conhecendo o público alvo e o valor do produto ajuda muito.

André completa também que o setor de marketing pode criar um mix de produtos ou plano de assinatura com diversas opções e descontos para garantir a recorrência, e depois oferecer mais produtos como upsell (estratégia de vendas para vender mais para o mesmo cliente).

 

 

  • Empresas com faturamento entre 1 milhão e 5 milhões

 

Essa é a fase de escalar as vendas através de um nicho de mercado, evolução do produto e fazer o roadmap de crescimento.  De acordo com os dados coletados, a taxa de crescimento gira em torno de 100% ao ano. O faturamento por funcionário por ano é de R$ 73.000,00 e em média a empresa apresenta 68 funcionários com 5 milhões de faturamento anual.  

Nessa fase as empresas usam inside sales (vendas internas) + field sales (vendas de campo) de acordo com a seguinte regra:  se o que ganho com cada cliente / ano é até R$1000 realiza-se venda pela internet.  Entre R$ 1.000 a R$ 25.000 realiza-se inside sales, acima de R$ 25.000,00 field sales.  A equipe de inside sales apresenta churn maior que a equipe de field sales.

91% do faturamento das empresas nessa fase provém de novos clientes.  O tempo para recuperar o CAC no Brasil é de 6 meses. Se a empresa alcança 10 novos clientes/mês demora 19 meses para sair do vermelho.  

Na margem bruta entra o cloud, equipe de suporte e ferramentas de suporte.

 

 

  • Empresas com faturamento entre 5 e 10 milhões

 

Chegou a fase em que a empresa deve evoluir o produto, escalar as vendas e alavancar o NPS (Net Promoter Score, uma métrica que tem como objetivo medir a satisfação e lealdade dos clientes com as empresas).  É importante dar muita ênfase a gestão do negócio.

As empresas apresentam taxa de 54%.  O faturamento médio por funcionário é de R$ 1000.000,00.  Média de 100 funcionários, com 10 milhões de ARR (Annual Recurring Revenue, valor recorrente de faturamento anual).

Nesta fase a empresa apresenta aumento de vendas via em field sales.  Taxa de crescimento da empresa em inside sales é de 47% e de field sales 30%. O churn para equipe de inside sales gira em 13% e na equipe de field sales em 8%.

O upsell aumenta para 20% e a concentração de despesas dos setores de marketing e vendas aumenta.

 

 

  • Empresas com faturamento entre 10 e 50 milhões

 

Empresas com esse tamanho focam em elevar o upsell e as vendas, além do NPS e gestão.  A taxa de crescimento é de 27%, enquanto o faturamento por funcionário é de R$ 150 mil.  Em média apresentam 330 funcionários com 50 milhões de ARR.

Empresas nessa fase devem perseguir entre 70 e 80% de margem bruta.

Aqui o foco é adquirir cliente, reter cliente e monetizar.

 

E para as empresas interessadas em crescer o negócio através do e-commerce, fale com um dos nossos consultores ou acesse o nosso trial gratuito por 10 dias.

Para quem está interessado em aumentar as vendas, sugerimos o livro “Como realizar um pitch matador” que pode ser adquirido aqui.

E para quem deseja se tornar um empreendedor digital com ganhos de acordo com a meritocracia e um produto inovador, conheça nosso programa de parceria aqui.

 

Sobre o Superlógica Xperience 2018

O Superlógica Xperience é o maior evento da América Latina sobre o mercado de Assinaturas e SaaS (software as a service). Em 2018 foi realizada sua segunda edição, que ocorreu em Campinas, São Paulo de 07 a 08 de junho.  O evento contou com 2500 participantes de 21 Estados diferentes, com total de 900 empresas.

 

Sobre a autora

Erica Castilho, CEO da N2N Virtual

CEO da N2N virtual com mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento de software para e-commerce em grandes empresas.  Palestrante sobre marketing digital, e-commerce e empreendedorismo. Mestre em Informática com ênfase em gerência de projetos pela UFRJ, bacharel em Sistemas de Informação, especialista em Marketing Digital.  Nomeada ao prêmio de melhor empreendedora digital de 2018 pela ABCOM.

7 motivos para lançar um marketplace com a N2N Virtual

Sabemos que escolher a plataforma correta é um passo muito importante para lançar o seu marketplace.  Por isso, elencamos alguns diferenciais que podem te ajudar a fazer a escolha correta quanto ao fornecedor para te ajudar com a solução tecnológica:

  • Recursos para marketplace

Se você pensa em lançar um marketplace, uma plataforma de e-commerce padrão não vai oferecer os recursos chave que você precisa.  É necessário analisar se a plataforma vai oferecer formas de você gerir de forma automática e de acordo com a legislação corrente.  

Na N2N Virtual oferecemos formas de cada seller (vendedor) realizar a gestão de suas vendas através de um painel administrativo próprio onde ele poderá controlar o cadastro de produtos, estoque e acompanhar pedidos.  Além disso, o próprio vendedor se cadastra e informa ao marketplace que deseja ser um vendedor. Outras funcionalidades importantes são a moderação do seller e de seus produtos e o acompanhamento de pedidos pelo gestor do marketplace.  

Já para suprir a legislação do Brasil, também já realizamos split do pagamento, onde cada vendedor/seller recebe sua parte do pagamento de forma individual, e o dono do marketplace recebe também seu % de forma automática.

Não obstante, a N2N Virtual foi nomeada para o prêmio de Melhor plataforma de e-commerce em 2018 pela ABCOMM (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), nomeada para o Santander Empreenda em 2017 e foi selecionada entre as melhores startups para participar do Campus Party (maior evento de tecnologia do Brasil) por duas vezes. Confira aqui nossos prêmios e matérias na mídia.

  • Hospedagem em cloud

Algumas plataformas de código aberto ou baseadas nesse tipo de modelo não oferecem a hospedagem do seu marketplace em cloud (na nuvem).  Normalmente o que elas fazem é realizar a instalação de cada instância do marketplace no próprio servidor de hospedagem do cliente, e dessa forma toda manutenção e suporte relativo a hospedagem fica por conta do cliente.  Se você não possui uma equipe grande de TI para te oferecer suporte corra desse modelo. Dê preferência a uma plataforma que já te ofereça o hosting em cloud.

Nós da N2N Virtual oferecemos ao nosso cliente hospedagem no cloud mais reconhecido no mercado (Amazon), aumentando toda infraestrutura sempre que necessário para que seu marketplace sempre esteja no ar (como no natal, blackfriday entre outros), e cuidando de toda operação de CPUs, memórias e outras partes técnicas e complexas necessárias para o bom funcionamento da sua operação.

  • Inovações automáticas

Quando se fala de tecnologia é sempre importante se manter atualizado e ter recursos de ponta.  Por isso, não adianta ter uma plataforma que é instalada e não te dá novos recursos. As plataformas SaaS (software as service) oferecem além do software / plataforma em si, novas funcionalidades periodicamente.

Na N2N Virtual nós temos um setor de pesquisa e desenvolvimento (P&D) focado em trazer inovações tecnológicas para ajudar o seu marketplace a vender mais.  Nós estudamos o mercado, identificamos os recursos mais importantes para os nossos clientes e já realizamos o desenvolvimento da solução. O estudo do comportamento do e-consumidor é nossa grande preocupação e por isso realizamos inovação nesse segmento sempre.  Prova disso é que a N2N Virtual já recebeu diversos prêmios por inovação, como por exemplo o prêmio de 10 melhores empresas de TI no Brasil oferecido pelo UKTI em 2014, o prêmio Shell Let`s Go & Trade em 2015, o prêmio de empresa mais inovadora oferecido pela TIRio em 2017 e o prêmio de top 5 melhor startup do StartOut Brasil avaliada pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) e ABFrance em 2017.

  • Treinamento técnico

Para ter sucesso no uso de qualquer ferramenta tecnológica você precisa entendê-la muito bem.  Por esse motivo, a sua plataforma de marketplace precisa te ajudar no processo de entendimento.

Na N2N Virtual nós oferecemos aos nossos clientes diversos tipos de material para treinamento, dentre eles:

1 – N2NTraining: treinamento em forma de vídeo aulas ensinando os recursos da plataforma;

2 – N2NHelp: nossa central de ajuda com diversos artigos em forma escrita e passo passo sobre como utilizar os recursos da plataforma;

3 – N2NCamp: treinamento ao vivo e presencial para empresas aprenderem a utilizar os recursos da plataforma.

  • Suporte tecnológico

Além de ter acesso e treinamento sobre uso da plataforma, é importante também que você tenha para onde correr em caso de dúvidas.  Por isso, a sua plataforma precisa oferecer suporte tecnológico e te orientar quando você estiver em apuros.

Na N2N Virtual nós temos o N2NSupport, onde nossos clientes podem abrir tickets e ser orientados bem rapidamente em todo processo em caso de dúvidas.

  • Conteúdo para área de negócios

Uma plataforma que se preocupa com a área de negócios oferece muito mais do que a parte técnica e mostra que entende do mercado.

Na N2N Virtual nós oferecemos para os clientes diversas formas de se prepararem para gerir um negócio de marketplace:

1 – N2NTalks: nosso programa no youtube onde realizamos entrevistas com especialistas e oferecemos dicas e capacitação para gestores de marketplaces;

2 – N2NSchool: cursos a distância em forma de vídeo aulas que preparam os gestores de marketplace em suas atividades do dia a dia;

3 – N2NApp: tudo que o gestor do marketplace precisa para cuidar da sua operação na palma da sua mão;

4 – N2NBlog: artigos sobre e-commerce, gestão de marketplaces, empreendedorismo e muito mais para ajudar nossos clientes a ter sucesso no negócio;

5 – Parceria em eventos: já levamos diversos clientes a participar de conferência e congressos de e-commerce de forma gratuita, ou com descontos que tornam o ingresso totalmente acessível.

  • Benchmark com outros países

Como o Brasil ainda está muito recente no segmento de marketplaces, é muito importante que a sua plataforma realize benchmark e estudo o funcionamento do setor em outros países.  Regiões como EUA por exemplo tem como top 3 de vendas no segmento de e-commerce empresas que são marketplaces, e precisam ser estudadas a fundo.

A N2NVirtual realizou estudo sobre o segmento dentro do setor de pesquisa e desenvolvimento para modelar o negócio e implementar recursos com base em missões empresariais realizadas para os EUA, Londres e Paris, todas com apoio do governo brasileiro, e também do Consulado britânico e agência francesa.  Já em 2014, com o apoio do Sebrae, lançamos a primeira versão da nossa plataforma no TechCrunch, maior evento mundial de tecnologia, que foi realizado em San Francisco, nos EUA.

Além disso, lançamos uma unidade da nossa empresa nos EUA onde temos acesso a tecnologia de ponta, parceiros estratégicos e recursos essenciais utilizados nas vendas online e presenciais vindo desse país que é líder mundial de e-commerce.

Quer saber mais? Fale com um de nossos consultores, ou crie agora mesmo seu marketplace com nosso plano gratuito de trial.

Case de sucesso: Estilo Afro

A Estilo Afro estava com planejamento de se lançar como startup no mercado, atuando num foco de marketplace de nicho para se diferenciar do que já existe atualmente. Mas precisava de um parceiro que oferecesse facilidade no uso da tecnologia e valor acessível.  

O formato de solução totalmente hands on (configurada e alterada pelo próprio cliente), com funcionalidades robustas e com preço acessível para a pequena empresa foi o ponto decisor para a parceria entre a Estilo Afro e a N2N Virtual.

A N2N Virtual oferece para Estilo Afro tecnologia para o funcionamento do marketplace, que engloba a plataforma, infra estrutura em cloud de primeira qualidade, treinamentos online do N2NTalks, N2NCamping e suporte tecnológico do N2NHelp e N2NSupport.  Além disso, a equipe tem acesso ao nosso conteúdo do blog e do N2NTalks, para auxiliar o cliente a ter melhores resultados com o seu negócio.

A N2N Virtual tem ajudado a Estilo Afro a crescer não só através da tecnologia, mas também com apoio na área de negócios.  Além de indicação de fornecedores, exposição da marca e treinamentos, a N2N Virtual também ofereceu ingressos cortesia para participação de fóruns e congressos de e-commerce.

Hoje em dia, a Estilo Afro é o maior marketplace (shopping virtual) voltado para o público adepto ao perfil Afro Brasileiro.   A empresa conecta pequenos fabricantes e vendedores de produtos afro com consumidores que buscam este tipo de estilo em moda e acessórios, contando com a moderação do marketplace para garantir produtos de qualidade e atendimento de excelência.

De acordo com Anderson Assis, fundador da Estilo Afro,  “a plataforma da N2N Virtual foi muito boa para tirar o projeto do papel de forma rápida, e a N2N Virtual está sempre a disposição para melhoria ,suporte e indicação de cursos.”


Conheça o marketplace da Estilo Afro em www.estiloafro.com.br


Quer ajuda no seu projeto de marketplace? Fale com um de nossos consultores, ou crie agora mesmo seu marketplace com nosso plano gratuito de trial.

4 problemas gerados por blog sem faturamento

Grande parte de negócios baseados em blogs ou portais atuam com modelo de publicidade.  Mas vender publicidade na era digital e com tantas opções disponíveis não é uma tarefa fácil, principalmente pelo fato de que pequenas empresas não se preocupam em segmentar seus anúncios, mas focam apenas em realizar publicidade em canais gerais de grande nome ou muito conhecidos.

Por esse motivo, muitos blogs acabam tendo dificuldade em monetizar, e por conta disso enfrentam alguns problemas, dentre eles:

  • Dificuldade em gerar conteúdo

Se o seu blog ou portal não consegue gerar faturamento fica difícil manter uma equipe ou contratar uma empresa para gerar conteúdo.  Mesmo que o dono do negócio seja o responsável em escrever as matérias e posts, sem faturamento você não conseguirá fazer retiradas para se manter, e vai acabar desanimando.  Contudo, o modelo de blogs e portais é todo focado em conteúdo, e sem gerar conteúdo não tem como seu negócio ir para frente.

  • Dificuldade em investir em marketing

Se você deseja vender publicidade tem que ter um número de acesso muitíssimo alto.  Sem investir em marketing isso é impossível. Mesmo que você gere conteúdo para atração no modelo de inbound marketing, ainda assim realizar a divulgação do seu material, atrair leitores, seguidores, realizar branding, e se tornar conhecido é essencial para o modelo de negócios com base em publicidade.  Contudo, investir em marketing demanda capital, e sem faturamento no seu negócio é difícil conseguir realizar esse investimento.

  • Dificuldade em vender

Chega a ser de certa forma engraçado dizer que sem vender você não fatura, e sem faturar você não vende.  É parecido com o problema de saber quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha? Mas pense o seguinte: para vender, além de investir no marketing que citamos acima, você precisa investir no seu setor comercial.  Contratar equipe de vendas, equipamentos (telefones, computadores, etc), pagar despesas operacionais da sua estrutura, entre outros são ferramentas chave para o sucesso das suas vendas, e sem faturamento fica impossível realizar essas operações.

  • Morte do negócio

Infelizmente a morte do negócio é o resultado da falta de faturamento, pois sem conseguir gerar o conteúdo para o seu blog ou portal, sem investir no marketing para atrair os seus leitores / consumidores dos seus clientes que investem na publicidade através de você e sem conseguir vender a sua publicidade o seu negócio está fadado ao insucesso.  

Quer saber como resolver o problema da falta de faturamento do seu blog?  Converse com um dos nossos consultores.

8 dicas do que não fazer na Black Friday

Esse ano a black friday será realizado no dia 23 de novembro. Esse é um evento muito esperado pelos consumidores, que desejam avidamente aproveitar as promoções. Tradicionalmente esta é uma data que inaugura a temporada de compras natalinas, e ocorre um dia após o dia de Ação de graças nos Estados Unidos, ou seja, celebra-se no dia seguinte à quarta quinta feira do mês de novembro.

Esta festividade foi inicialmente criada nos Estados Unidos e foi se expandindo para o restante do mundo através da tecnologia e globalização. Como complemento ao evento existe também a cyber monday, que é um dia dedicado às compras pela internet e que se celebra na segunda feira depois da ação de graças. (Wikipédia)
Para que os gestores de marketplace se preparem para esses dias, criei uma lista com algumas ações que NÃO devem ser realizadas pelos shoppings virtuais:

 

 

 

 

 

1 – não infle seus preços 
No Brasil já se tornou um mau hábito de algumas empresas aumentarem o preço dos produtos algumas semanas antes para depois abaixarem no black friday com intuito de dizer que estão oferecendo desconto. Mas já existem aplicativos e outros recursos que mostram ao consumidor o preço que o produto estava sendo vendido anteriormente é isso desmascara essa técnica, que eu considero bem anti ética. Muitos consumidores inclusive já apelidaram no Brasil o evento de black fraude devido a essa prática. Então não use nunca esse recurso no seu marketplace.

 

 

2- não perca sua margem de lucro 
Toda promoção para ser realizada precisa ser bem calculada. Não adianta você criar promoções para vender mais e perder sua faixa de lucro. Tem empresa que vende até por valor menor do que o custo de compra, e isso pode te levar à falência. Por isso, vale a pena sentar, verificar o custo de compra, entrega, armazenamento, marketing e etc, colocar tudo na ponta do lápis antes de realizar a precificação que você pode atingir no seu marketplace.

3- não deixe o planejamento para última hora
Para conseguir fazer seu dever de casa direitinho não adianta deixar tudo para última hora. É importante deixar um tempo para planejamento de forma a ter uma execução impecável e evitar dor de cabeça. Se você atua com diversas equipes, comece a dividir as tarefas com antecedência, verifique o prazo que cada um precisa, case os entregáveis de uma equipe para outra para que o trabalho flua com sucesso.
Um ponto chave de sucesso para o marketplace na blackfriday é manter uma boa parceria com os sellers (vendedores). Cada um deles precisa também entrar no clima e criar promoções únicas para o período.

4- não fique quieto
Não adianta ter todo o trabalho de planejar e executar promoções do black friday no seu marketplace se você não anunciar o que está fazendo. Tem uma frase interessante que diz “se até a galinha cacareja quando bota ovo, o empreendedor tem que cacarejar também”. Deixe seu público alvo conhecer suas promoções e as ações que está fazendo. Sente com sua equipe de marketing e já estruture todas as ações de anúncios que vai usar. Redes sociais, google Ads e e-mail marketing boas sugestões. Lembre-se também de validar se o ROI do investimento será válido.

5- não ultrapasse sua capacidade
Lembre-se sempre que você tem uma capacidade de venda no seu marketplace. Verifique se os recursos tecnológicos estão de acordo com o que você planejou. Na N2N virtual atuamos com Cloud exatamente para conseguir ampliar recursos tecnológicos sempre que necessário a fim de aguentar o aumento de acesso nos marketplaces dos clientes.
Outros itens que devem ser verificados é se você é os sellers tem os produtos em estoque, se o prazo de entrega configurado poderá ser cumprido, se a sua equipe de SAC conseguirá atender os clientes a tempo de não perder as vendas e criar um plantão 24h para atendimento quando necessário.

6 – não crie metas não atingíveis 
Lembre-se que o objetivo do black friday é aumentar as vendas, e por isso é necessário criar metas de vendas atingíveis. Pense em qual lucro deseja obter, número ou volume de produtos a serem vendidos, novos clientes a serem atraídos, ticket médio, retorno de clientes… Mas crie sempre metas que você possa atingir de acordo com o investimento que está disposto a investir.

7- não tente competir em preço com os grandes 
Os grandes marketplaces conseguem sempre preços melhores com fornecedores devido ao grande número de compras que realizam. Lembre-se que você não conseguirá competir pelo preço, então estabeleça outras estratégias de competição. Produtos exclusivos, serviço diferenciado, atendimento personalizado, entre outros, são ótimas técnicas para conseguir se destacar.

8 – não coloque tudo em promoção 
Defina no seu marketplace os produtos que mais valem a pena colocar em promoção. Pense na concorrência e no que você pode oferecer melhor. Pense também na sua estratégia de giro. Produtos que normalmente já vendem muito provavelmente não terão muita diferenciação no black friday, mas produtos parados no estoque ou que estão para sair de linha podem ser uma excelente alternativa para ampliar as vendas.

Espero que essas dicas te ajudem a vender mais no seu marketplace. E se você deseja experimentar gratuitamente nossa plataforma fale com um consultor ou crie um trial.
Aproveite para aprender mais sobre gestão de marketplace com nossos curso no N2NSchool.

Erica Castilho, Dra Marketplace.