[E-book] Oportunidades para internacionalizar o seu marketplace

O Brasil hoje tem alguns produtos reconhecidos mundialmente, tais como cachaça, café, grãos, dentre outros.  Muitos desses produtos já estão sendo exportados em lote B2B, contudo temos pouca operação de exportação B2C acontecendo.  Grande parte da nossa população realiza importação de produtos de marketplaces externos, tais como Alibaba e e-bay. Em grande parte isso se dá pelo baixo custo relacionado a esses produtos, como por exemplo no segmento de eletrônicos.  Contudo, existem alguns segmentos onde temos produtos exclusivos e que podem ser trabalhados de forma internacional. Basta que o gestor do marketplace estude informações sobre o seu portfólio, seu público alvo e como a operação pode ser realizada.

O e-commerce permite um fácil acesso à globalização, contudo diversos marketplaces de nicho não estão aproveitando essa oportunidade.  Para facilitar o seu planejamento, criamos um e-book com informações que vão te ajudar a se estruturar e abrir a sua mente com a possibilidade de internacionalização.

Para acessar o e-book, clique aqui.

N2N Virtual realiza missão de internacionalização para França

Quatorze startups  brasileiras fizeram parte do grupo selecionado pelo programa StartOut Brasil, enviado para uma missão de internacionalização em Paris entre 3 e 8 de Dezembro de 2017.  Essa foi a primeira viagem oficial promovida pelo programa do governo federal, destinado a promover a internacionalização de startups (nome dado a empresas iniciantes com proposta ou produtos inovadores, geralmente na área de tecnologia).

Entre as 5 melhores qualificadas para a missão, e premiada com as passagens aéreas, está a  N2N Virtual, plataforma que permite a qualquer pessoa criar e gerenciar seu próprio marketplace (shopping virtual) com baixo custo, agilidade e suporte tecnológico.

Erica Castilho, CEO da N2N Virtual, conta que o programa foi essencial para realização de pesquisa e validação de mercado na França.  Ela foi capaz de conhecer o ecossistema para startups em Paris, com visita a incubadoras, aceleradoras e programas de fomento a startups, além de realizar reuniões diretas com possíveis parceiros para revenda do produto.  Voltou com entendimento suficiente das adaptações que serão necessárias em sua solução para montar a estratégia de exportação para França, além de ter entendido melhor a cultura local e necessidades dos clientes.  Erica relata que essa semana de trabalho poupou um grande capital que poderia ter sido aplicado em um caminho errado caso não validasse o mercado diretamente.  Ela acha muito válido para empresas que estão pensando em globalização realizar este tipo de missão junto ao governo, pois muitas portas são abertas pelos agentes que organizam o evento.

 

StartOut Brasil

O StartOut Brasil selecionará, por ciclo de imersão, até 15 startups com potencial de internacionalização para participar de missões no exterior. As empresas terão acesso à consultoria especializada em internacionalização, mentoria com especialistas no mercado de destino e treinamento de pitch. Além disso, durante a missão, cumprem agenda de trabalho montada para promover a prospecção de clientes e investidores e a conexão a ambientes de inovação. Nos últimos dias da missão, é realizado um demoday para investidores. Quando retornam ao Brasil, as empresas terão apoio para definir sua estratégia de internacionalização e realizar a efetiva instalação no mercado-alvo (softlanding).

No ano que vem, serão realizadas quatro missões de internacionalização. Em maio, as startups brasileiras terão a oportunidade de conhecer o ambiente de inovação de Berlim. No segundo semestre, as empresas irão a Miami e Lisboa, em agosto e novembro.

 

Missão Paris

N2N Virtual foi premiada com missão empresarial para Paris

A N2N Virtual, startup que permite a qualquer pessoa criar e gerenciar marketplaces com baixo custo, agilidade e suporte tecnológico, foi classificada entre as 5 melhores empresas pelo programa Inovativa Brasil para participar da missão de startups Brasil-França 2017. Com essa classificação, a N2N Virtual recebe como prêmio as passagens para realizar a viagem, além de toda agenda de consultoria e visitação organizada pelo programa.
A missão consiste em uma semana inteira de imersão e prospecção de negócios na cidade do maior campus de startups do mundo. Parceria entre o MDIC, a Apex-Brasil, o Sebrae e o Ministério das Relações Exteriores, com apoio da Anprotec e da Business France, 15 startups brasileiras foram selecionadas para integrarem missão de inserção internacional em Paris, entre os dias 2 e 8 de dezembro de 2017.
A empresa contará também com um ciclo de preparação para internacionalização, com consultoria especializada em expansão internacional, serviço de matchmaking para identificar e agendar reuniões estratégicas na França, treinamento de pitch e sessões individuais com especialistas no mercado francês.
Em Paris, a N2N Virtual contará com seminários de oportunidades, sessões de pitch training, rodadas com prestadores de serviços, visitas a ambientes de inovação e empresas com estratégias de inovação aberta, e um demoday para investidores e executivos franceses.
Paris sempre despertou o interesse do mundo. E hoje ela não é mais somente a cidade da luz, é um vibrante ecossistema de inovação e empreendedorismo! Paris tem entre 2.000 e 2.600 startups de tecnologia, com muitos cases de sucesso que operam em quase todo o mundo, como Deezer, Bla Bla Car, Webedia e Criteo. E é a segunda cidade com mais startups na Europa, depois de Londres.
E isso não foi à toa. O aumento de benefícios fiscais, subsídios e empréstimos para a comunidade tecnológica, eventos como a VivaTechnology, programas como o French Tech Ticket, entre outros incentivos conferem à capital francesa uma posição de destaque como um dos principais ecossistemas de inovação da Europa. No índice Genome, Paris é o 3º melhor ecossistema europeu e o 11º do mundo.
Uma novidade fresquinha é que Paris abriga, desde junho deste ano, o maior campus de startups do mundo, a Station F, idealizada pelo bilionário Xavier Niel. Segundo a direção do campus, a Station F quer tornar o empreendedorismo mais acessível, atraindo mais perfis internacionais, mulheres e também pessoas de origens desfavorecidas para a criação de startups.
Paris é uma porta de entrada para mais de 700 milhões de consumidores na Europa e, portanto, mais uma excelente oportunidade para a expansão internacional de empresas brasileiras. Em 2015, o investimento de venture capital teve crescimento de 100% na França, 6ª maior economia do mundo e líder na Europa em investimento de fase inicial.

Lance agora mesmo o seu marketplace!

Entre em contato conosco!